Bispo X Candomblé e Umbanda

Religisos de matrizes africanas, em missa de 2010 (Foto: Divulgação/ Prefeitura de Corumbá)

Acabo de ver no site do G1 uma notícia no mínimo estranha.

O bispo Dom Martinez Alvarez, de Corumbá-MS, cancelou uma missa que estava prevista para ocorrer na Igreja Matriz no dia 30 de dezembro (amanhã). O que me causou estranheza foi a motivação do tal bispo para essa decisão.

Desde 2004, os integrantes das religiões das matrizes africanas assistem a essa missa, vestidos com as roupas tradicionais, sentados nos primeiros bancos da igreja. Após a celebração, eles saíam e lavavam a escadaria da igreja. Todavia, o bispo resolveu que neste ano de 2011 não permitirá a entrada dessas pessoas na igreja para assistirem ao culto.

Não satisfeito, o cara resolveu ir além: cancelou a própria celebração da missa! Imagino que ninguém em Corumbá esperava por essa.

Segundo o bispo, a presença do grupo na missa não tem coerência religiosa, pois nunca houve uma união real entre os cultos. O pároco da igreja, padre Flávio Vieira, afirmou que “É uma questão teológica e doutrinária, não se trata de exclusão; pelo contrário cada doutrina deve se fortalecer naquilo que ela é”.

O que eu acho disso tudo?

Essa situação nada mais é do que o retrato do conservadorismo e falta de diálogo promovido por alguns setores e membros da Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR), instituição que como meus leitores devem saber eu desprezo veementemente. Porém, em uma coisa eles até que podem ter razão: não é muito coerente que membros de uma determinada religião (no caso, duas, o Candomblé e a Umbanda) façam questão de participar dos ritos de uma outra religião.

Tudo bem que devemos considerar o sincretismo religioso como uma realidade para boa parte da população. Mas não deixa de ser esquisito a pessoa querer fazer trabalhos para Xangô ou Ogum, ou pedir a proteção de caboclos ou preto-velhos, e logo em seguida ficar lá ajoelhado diante de um sacerdote católico, ouvindo aquela ladainha interminável, como se fosse a coisa mais normal do mundo acreditar e ter fé em coisas tão díspares como os mitos dessas três religiões.

Por outro lado, chega a ser quase engraçado ver representantes da ICAR falando em coerência religiosa, sendo que os membros e sarcedotes dessa religião (não diferente das outras que existem por aí) deliberadamente escolhem a dedo as partes que consideram adequadas em seu livro “sagrado” e em seus dogmas e doutrinas, ignorando convenientemente as questões menos palatáveis que supostamente foram escritas e definidas sob inspiração do mesmo ser mitológico (e ainda bem que é assim, pois prefiro os moderados hipócritas aos fundamentalistas coerentes).

Fontes:
http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2011/12/apos-proibir-grupo-de-canbomble-em-igreja-bispo-cancela-missa-em-ms.html
http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2011/12/sem-acordo-com-bispo-em-ms-ritual-de-candomble-fica-restrito-em-igreja.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s