Quando acaba o debate

*Texto tb publicado em: http://bulevoador.haaan.com/2010/01/31/quando-acaba-o-debate/

Algumas vezes tento iniciar um debate de temas religiosos/espirituais por email com algumas pessoas que conheço. Infelizmente quase nunca dá certo.

A primeira definição de debate no Dicionário Michaelis é “Contenda por meio de pa­la­vras ou argumentos; discussão; contestação”.

Pois bem. É mais ou menos o que gostaria de fazer. Geramente exponho algum texto que possua argumentos ateístas/céticos, ou até mesmo me arrisco a descrever argumentos próprios para o porquê de eu achar que divindades não existem. Exposto meu ponto vista, aguardo as manifestações de concordância (uma ou outra aparecem) e, principalmente, os contra-argumentos dos discordantes. E é aí que me decepciono.

Quase nunca aparece alguém disposto a responder meus emails com argumentos sólidos de forma a ocorrer um debate saudável e produtivo. Depois de uns 4 ou 5 trocas de emails, encerra-se a discussão com as frases clássicas: “Religião não se discute” ou “Minha opinião é essa e deve ser respeitada”.

Ora, se toda discordância, seja lá qual for, terminasse nesses tipos de argumentos, boa parte do conhecimento acumulado pela humanidade ao longo da história não teria sido produzido. Leituras, reflexões e estudos são muito bons, porém não são capazes de estimular nossa mente e nossa inteligência como uma boa contenda.

Também não tenho a intenção de convecer ninguém da falta de lógica (opinião minha, discorde à vontade, mas com argumentos) que há em qualquer tipo de crença sem provas em divindades e/ou fenômenos ditos paranormais. Não é esse o objetivo dos emails que mando. O único objetivo é suscitar o debate.

Portanto, digo que religião se discute sim. Assim como política. Assim como futebol. Assim como filosofia. Assim como cinema/literatura/música/TV. E parafraseando um outro blogueiro (http://www.idelberavelar.com/archives/2009/07/ateus_saiam_do_armario_ateismo_e_falsas_simetrias.php), opiniões não devem ser respeitadas coisa nenhuma. Pessoas devem ser respeitadas. As opiniões devem ser, sim, discutidas com argumentos e contra-argumentos, as minhas, as suas e as de quem for. Afinal, eu não respeito a opinião de quem considera as mulheres inferiores aos homens; não respeito a opinião de quem considera os negros inferiores aos brancos; não respeito a opinião de quem considera os judeus um povo inferior. E todas essas já foram dominantes (ou ainda são) em algum lugar e em alguma época. E não respeito a opinião de quem acredita em deuses, semi-deuses, concepção sem sexo (só no caso de inseminação artificial, aí pode), espíritos, santos, anjos, demônios, fadas, duendes, unicórnios cor-de-rosa, etc… Respeito as pessoas que as têm. Respeito argumentos e contra-argumentos bem fundamentados na lógica e na racionalidade. E respeito principalmente os debatedores que venham me confrontar com ideias interessantes e bem fundamentadas. Mas as opiniões eu não respeito.

Sei que muita gente pra quem envio emails de cunho ateísta/cético se sente agredida, incomodada, violada, desrespeitada… Não obstante são pessoas que normalmente conseguem discutir numa boa sobre futebol (embora este quase sempre acabe em discussões de baixo nível intelectual), política (embora esta ultimamente tenha sofrido com o excesso de argumentos preconceituosos e falaciosos) ou qualidade cinematográfica/musical/televisiva (geralmente baseadas apenas em gostos individuais).

Ok. Não é minha intenção fazer ninguém chorar se sentir  desrespeitado. Assim, não mais invadirei alimentarei o email de ninguém com minhas ideias… a não ser, é claro, que seja provocado. rs. Aí entrarei no debate com gosto.

Utilizarei meus espaços na internet (orkut, twitter, forúns e este blog) pra expôr textos que leio, meus textos, minhas opiniões e meus argumentos. Quem quiser discutir/debater será sempre bem vindo.

as religiões ainda gozam desses estranhos privilégios: não pagam impostos, por exemplo. A pior parte é que elas podem dar palpite em absolutamente tudo — desde o currículo escolar até o útero alheio – mas, no momento em que são questionadas, o debate é silenciado com aquele mais cretino dos argumentos, ah, tem que respeitar minha religião.

Entendam o ponto de vista d’ O Biscoito Fino e a Massa sobre isso: tem que respeitar religião porra nenhuma. Tem que acabar com essa história de que, todas vezes que apontamos a misoginia, a homofobia, os estupros de crianças, a guerra anticiência, os séculos de lambança obscurantista, sempre aparece alguém para dizer “ah, tem que respeitar minha religião”.

Ideias não foram feitas para serem “respeitadas”. Ideias foram feitas para serem debatidas, questionadas, copiadas, circuladas, disseminadas, combatidas e defendidas, parodiadas e criticadas. De preferência com argumentos. Seres humanos merecem respeito.

36 Respostas para “Quando acaba o debate

  1. Meu grande e respeitoso amigo Alex, uma das coisas que mais gosto na vida é discutir (não impor idéias) religião,religiosodade,cristianosmo, cristão. Adoraria entrar neste mérito com vc mas, para isso, gostaria de saber melhor o significado para vc de ‘respeito às pessoas” pois, ao se discutir Deus (ou deus) estamos entrando num mundo 100% abstrato, que é o mundo da fé, seja ela no que for. Por exemplo, vc ,parece- me, tem sua fé baseada em argumentos e contra- argumentos (pf se eu estiver errado tenha total liberdade em corrigir- me) e tb, no que podemos dizer, que tem sua fé baseado no ditado “só acredito vendo”srsr. Em relação a isso….ok.
    Mas é muito importante para mim saber se vc respeita a fé, seja ela no que for.
    Então, para que não coloquemos os carros na frente dos bois (como um certo indivíduo fez ao começar a ler os livros do mestre tolken…srsrs), gostaria de enfatizar a necessidade de vc expor melhor esta questão do respeito ao próximo….que é bíblico por sinal…srssrs
    Baseado no conhecimento prévio de sua pessoa e personalidade, garanto a vc que és muito mais cristão que muito “cristãos” que eu conheço….. mas este tema só continua a debater se eu estiver satisfeito que vc não esteja ignorando o real significado “concreto” desta duas palavras “abstratas” que são RESPEITO e FÉ.
    No mais, fica um abraço de um amigo e admirador.
    JANJÃO

    • Grande Janderson,

      entendo bem o significado de “respeito” e “fé”. Pelo menos gosto de acreditar q sim, hehehe. Bom, em linhas bem simples, acho complicado definir de forma clara “respeito às pessoas”. Podeia dizer q é o ato de respeitar alguém, mas isso não acrescenta nada demais, certo? Vou utilizar então um exemplo. Não respeito a ideia de que um a determinada divindade criou o ser humano e tudo o mais que existe no universo, mas respeito sim as pessoas q nela acreditam, desde que o façam por sua própria reflexão e vontade, e não pq alguém disse q assim o é. Respeito o direito das pessoas de acreditarem no que quiserem e falarem o que quiserem, não importa o quão absurdo seja e desde que não haja nenhum prejuízo a outrem. Mas determinadas opiniões eu não respeito, se as considerar fracas, sem sentido, absurdas, ou outro adjetivo qualquer.

      Agora, dizer que o respeito ao próximo é bíblico…bom aí já começo a discordar… O respeito é uma das muitas qualidades (no meio de muitos defeitos) que a espécie humana tem, independentemente de qual cultura ou religião (ou a falta de) que o indivíduo professe. O que exatamente quer dizer ser bíblico? Essa definição eu gostaria de ler. Muitas coisas estão escritas na bíblia que jamais alguém em sã consciência pensaria em seguir hj em dia. Muitas outras coisas são exemplos das mais altas qualidades humanas. O discernimentos q devemos ter para distinguir as duas situações está acima de qualquer tipo de religião ou livro sagrado q se siga.

      Em relação ao meu conceito de “fé”… hum, tb de maneira bem simples vou tentar escrever o que penso. Considero a “fé” a capacidade de crer, acreditar, ter convicção sobre algo sem que seja necessária uma comprovação “lógica” e “racional”, conceitos estes que acabam sendo relativos tb. Se uma pessoa acredita que a sensação de “estar na presença de um deus” é algo a mais do que uma sensação física/organica, não concordo com essa opinião, mas respeito a pessoa q a tem (retomando o parágrafo acima). Assim, discordo de vc qdo vc se refere a minha “fé baseada em argumentos”, não se se o conceito de “fé”, tal como o entendo, se aplica às minhas opiniões sobre a vida e o mundo.

      Por fim, discordo em relação aos livors do Tolkien tb… gostei de ter lido o Silmarillion antes de ler os outros. Preparou minha imaginação pro que vem a seguir, hehehe.

      Obviamente, suas discordâncias acerca de tudo o que escrevi acima serão extremamente enriquecedoras, pra mim, pra vc e pra qq um que venha a ler esse texto.

      Grande Abraço.

  2. Além do meu silêncio frente a seu novo silêncio nos yahoogrupos só tenho a acrescentar: “Só porque ninguém está ouvindo, não significa que não deve ser dito”

  3. Meu caro, Bom dia!!! Sempre é muito enriquecedor para mim, acompanhar o desenrolar das discussões e comentários de vcs no Yahoo Grupos.
    Poucas vezes participei porque estando tão longe, no interior, temos pouco contato ou interesses/olhares diferentes sobre a nossa “querida SES/MG” em relação a Vcs do Nível Central, sem falar do tempo escasso devido ao número enorme de auditorias que realizamos em 2009.
    Concordo contigo que é salutar discutir, opinar, contradizer, apresentar argumentos e divergir de opiniões.
    Porém, vc está inaugurando no blog uma discussão fervilhante, que move o mundo enquanto o ser humano passou a existir.
    Não sou praticante ferrenho de nenhuma religião.
    Sou católico, de vez em quando vou na igreja, gostaria de ir mais é verdade, acredito em Deus, na fé, na bondade dos homens, e me conforto nisso, pensando que um dia estaremos novamente juntos com nossos entes queridos que partiram desse mundo.
    Entendo que vc possa argumentar com lógica, ciência, fatos e pesquisas que tentam desmitificar a existência de um ser onipotente, um Deus maior que rege o mundo e nos quer como seus filhos.
    No entanto, não há como fazer “pesquisas”, “estudos duplo-cegos”, “teses dissertativas e elaboradas” sobre algo que é ao mesmo tempo abstrato, mas esplendorosamente real e palpável e que está dentro de cada um de nós.
    Não posso ocultar aqui, que por diversas vezes senti o poder divino em minha vida e agradeço todos os dias pelas dádivas alcançadas.
    Não tenho a mínima pretensão possível de contornar teus pensamentos. Apenas explicitei os meus. Quem tem de encontrá-lo é vc mesmo, no seu eu interior e nos exemplos de sua vida.
    No fim, penso que vc está em busca de uma prova irrevogável de sua existência, quando na verdade a prova está tão nítida e próxima que por vezes não conseguimos enxergá-la. Um abraço, Parabéns pelo Blog e boas discussões. Acho que tal tópico vai ferver, He! He! He!
    Não sei como vcs do Nível Central têm tempo de criar até blog. Devem mandar todo o serviço para as GRS`s e ficarem tranquilos, brincadeirinha, He! He! He! Abraços.

    Att.
    Guilherme Barbosa
    NMAA – GRS Teófilo Otoni

    • Olá Guilherme,

      só corrigindo uma informação… eu tb sou fruto de GRS… só estou mais próximo do NIvel Central, por estar na GRS BH… E qto ao tempo meu caro, oras, foras trabalhar e dormir, ainda me sobra umas 10 h por dia de ócio, criativo ou não. hehehehe… E aproveito a pasmaceira de janeiro pra escrever essa resposta aki da GRS mesmo…

      Mas, voltemos…

      Discordo qdo vc diz que estou “busca de uma prova irrevogável de sua existência”… estas não existem. O que me levou a deixar de acreditar na existência de divindades de qualquer tipo foi exatamente muita reflexão, muita leitura e muito olhar para o mundo e para meu “eu interior”. E te garanto que todo o processo foi gradual, ponderado e consciente.

      E concordo plenamente com vc qdo diz que a discussão é fervilhante. Por exemplo, na minha opinião, a ideia de um deus onipotente que “rege o mundo e nos quer como seus filhos” é herdeira de muitas outras visões de mundo que hj nos parecem absurdas (ou alguém ainda acredita que o sol é um deus, ou que os raios são manifestações de Zeus qdo está zangado, ou que a lua é a mãe de todos os seres da Terra?). Ora, pra mim, elas diferem muito pouco entre si.

      Respeito-o qdo vc escreve que “por diversas vezes senti o poder divino”, não sei bem o que vc quer dizer com isso, mas acho que provavelmente são sensações “facilmente” explicadas por coisas que nada têm de sobrenatural. E, na minha opinião, acho que devemos sim agradecer “pelas dádivas alcançadas”, mas devemos agradecer aos nossos pais, nossas famílias, nossos amigos, nossos professores, nossos desafetos, nossos patrões, etc, que são os responsáveis por cada um de nós estar onde estamos.

      Acreditar por acreditar, simplesmente não satisfaz minha mente curiosa.

      Abraço

  4. HAAHAHAHAHAHAHHA
    Ótimo o último comentário, seu à toa!

  5. Oi Alex,

    eu acho que sou atéia/ cética tb. Não afirmo com tanta convicção que sou atéia pq, as vezes, me pego falando: “ai meu deus!”. Não tenho tanta convicção do meu ateísmo, mas tb não to mto preocupada em ter. Minhas críticas são às instituições que “privatizaram” a crença em Deus com o argumento de fazer o melhor, sendo que na minha opinião não passa de uma forma de subordinar as pessoas a seu poder. Só que ao pensar nisso lembro de uma coisa que aprendi lendo algumas coisas de política, o poder existe quando há pessoas para legitimá-lo. E acho que o ser humano só legitima pq precisa disso, precisa se subordinar a algo, coisas reais, virtuais, invisíveis, palpáveis, pessoas, deuses, animais, drogas, sexo, rock, samba, pagode, funk….. Talvez pra não se sentir sem sentido na vida, talvez para não se sentir só, acho que existem muitos talvezes desde que o mundo é mundo para que os seres humanos se submetam a regras pouco fundamentadas, cientificamente falando. Lembro de um livro que li do Durkheim que chama “O suicídio”. Nesse livro Durkheim avalia o número de suicídios relacionados a quão coeso socialmente está o indivíduo. E os resultados foram: indivíduos que pertenciam a alguma religião tendem a cometer menos suicídio. Entre as religiões, os indivíduos protestantes cometem menos suicídios que os católicos, com a justificativa de que o catolicismo permite maior autonomia de conduta na vida.

    Vou ter que parar agora, vou embora, depois continuo esse debate com você.

    Ah! Daniel, tb não gostei do seu último comentário.

    bjos

    • Olá Elida.

      A utilização de termos como “ai meu deus” ou “graças a deus” é culturalmente construída… mesmo se um dia vc tiver absoluta certeza de ser atéia, pode ter certeza que essas palavras ainda poderão sair da sua boca…

      Tb cosidero algumas religiões dogmaticas como instituições que foram construídas com o objetivo de terem poder, e isso não é em nada diferente do desenvolvimento político por qual a humanidade passou e vem passando.

      Sobre seu relato do livro de Durkheim, bom, obviamente qq intituição religiosa é uma congregação de pessoas, e como tal tem a capacidade de unir seus componentes em uma comunidade, mais ou menos coesa. Acredito que daí vem grande parte do resultado do estudo, no qual “indivíduos pertencentes a alguma religião tendem a cometer menos suicídio”, pois, em geral, pode ser que esses indivíduos tenham um maior leque de pessoas para ajudá-lo em casos que poderiam predispor a uma medida extrema como o suicídio.

      Valeu. Bj.

  6. E aí Alex!? Beleza!?
    Acho que suas respostas não me surpreenderam pois não esperava menos de vc (para quem não te conhece, saibam que foi um elogio). Sempre te percebi como um observador voraz do que acontece ao seu redor (ótima característica) mas, ao ler seu texto, entendi um contexto um pouco pesado ao se falar em respeito pela fé. por isso, antes de continuar nossas exposições, achei melhor fazer- lhe as perguntas tão bem respondidas pois, para mim, fé é algo altamente importante porém tb é altamente sensível quando alguém a tenta mudá- la e não apenas debate- la. Com relação a definição de fé permita- me apenas complementar sua definição ok!? Fé , é antes de tudo, acreditar em algo que não pode ser provado ou quantificado ou até mesmo para alguns (e não considero- me entre eles) questionado.
    Com relação ao respeito ao próximo ser bíblico…estava brincando meu amigo…srsrs não é pq está na bíblia que isto se torna certo ou até mesmo divino….rsrsr. Sem ele, não haveria sociedade e por falta dele é que as maiores catástrofes acontecem. Respeito ao próximo não está diretamente relacionado a nenhuma fé ou religião… é questão de caráter, é pessoal, é intransferível, é resultado da formação psicológica que cada um carrega dentro de seu sub-consciente. Não sei se na faculdade tivemos oportunidade de discutirmos sobre algo assim mas se não sabe, já fui totalmente ateu tb (definição esta que posteriormente, se assim quiser, poderemos tb definir de uma maneira mais…digamos….fiel ok!?rsrsrs)
    Em relação aos comentários que vieram logo após…..me perdoem, seus autores, mas acho que meu “grande” amigo Alex (esta entre aspas pq na realidade ele deve ter um pouco mais de um metro e meio..rsrsrsr….judiei….rsrsr) não está atrás de exemplos pessoais ou de situações onde a fé foi superior à razão levando- nos a ter ou a sentir Deus…ele é um pensador voraz e fiel (que vem da palavra fé) aos seus ideais. Não estou aqui puxando o saco deste pigmeu (srsrsr…judiei de novo..rsrsr) pois isto não faz parte do meu caráter e ele sabe disso. Acho Alex que podemos sim dar sequência às nossas trocas de opiniões com respeito e fé que CONSTRUIMOS um pelo outro no decorrer do tempo. não tentarei nunca mudar vc de idéia pois, se vc se sente bem acreditando em seu ateísmo é pq vc já está completo espiritualmente falando. (se discordar, discutiremos isto bbbeeeemmm mais para frente ok!?).
    Gostaria que refletisse e me apresentasse, com a calma que lhe é peculiar, sua definição de três palavras ok!? Gostaria muitíssimo que as pessoas que interessassem tenham tb total liberdade de expressar suas opiniões. Por favor, gostaria de saber sua interpretação do que seja “ser ateu”; do que seja “ser cristão’ (que aliás estou surpreso de vc não ter confrontado esta minha opinião sobre vc, o que me deixou com mais respeito ainda à sua pessoa); e quais as suas “opiniões sobre a vida e o mundo.”
    OBS= não quero que me responda de maneira “simples” (Palavra usada várias vezes na sua contra argumentação). Quero que me responda de maneira que justifique vc querer debater isto comigo ok!? rsrsrsr
    Em relação aos livros do Tolken, não acho que foi de forma errada a maneira que começou a ler e sim acho que teria sido mais prazeroso vc ter começado a ler de maneira diferente pois a dúvida de onde e como surgiu tudo é que move toda a ciência…rsrsrsr. então, para deixar um pouco mais claro, fica melhor ler algo que nos faz indagar: “de onde este cara tirou isto!?…ou, como diria o Brow: onde este cara fumou esta erva!?…Quero pra mim…rsrsrsr. Apenas isto.
    Respeitosamente,
    Janjão
    OBS= Pô Daniel…… mandou bem não hein chegado!?rsrsr

    • Caro Amigo Janjão… eis que chego em casa à 01:45 da madruga e percebo, após ler seu texto, que é possível discutir/debater com respeito, calma e inteligência… ótima surpresa.

      Só esclarecendo a confuão de siglas: Trabalho, assim como outros que escreveram comentários aki, na Secret. de Estado de Saúde (SES/MG), que está dividida em uma unidade central (que chamamos Nível Central) e em Gerências Regionais de Saúde (ou GRS para os íntimos, localizadas em 28 cidades de Minas)… sacou?

      Uma ultima observação antes do papo sério: tô rindo sozinho do “pouco mais de um metro e meio” e do “pigmeu”… De repente o termo “Hobbit” fosse mais adequado, até pra utilizar o gancho da discussão dos livros do Tolkien, kkkkkk.

      Vamos lá. E não é que eu queira ser simples no que vou escrever abaixo, mas acho que algumas pessoas tendem a alargar demais alguns conceitos, os quais considero bem objetivos.

      Minha definição de “ser ateu” é a mais classica possível. É basicamente a ausência da crença na existência de divindades de qq tipo. Pra mim, ser ateu, é não acreditar que deus (ou deuses) existe(m), e ponto. Inclusive cosidero que o “ser ateu” não necessariamente signifique ser alguém sem religião, pois o Budismo, por exemplo, também não trabalha com a definição de um deus criador. Há também ateus que admitem a existencia de uma alma imortal, embora não acreditem que haja um deus tomando conta de tudo. Assim, acho importante notar que há tantos “ateísmos” quanto há “ateus” no mundo, pois não há um conjunto de regras e normas que os unem, além da descrença na existência de deuses.

      Bom, sobre “ser cristão”. Mesmo que se queira ampliar o conceito, para mim não há como fugir de um ponto central. Considero que “ser cristão” é uma característica de quem crê, total ou parcialmente, na mitologia cristã. É alguém que acredita na existencia de uma pessoa chamada por essas bandas de Jesus de Nazaré, o Cristo (Ungido, Messias), que seria nada mais nada menos que o filho do deus que é chamado apenas de Deus (com maiúscula). Com a proliferação de inúmeras igrejas cristãs, e com as diferentes visões e opiniões de diferentes representantes da Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR), da Igreja Cristã Ortodoxa, das diversas Igrejas Protestantes e Evangélicas, acho que hj tb há tantos “Cristianismos” qto há “cristãos”. Assim, retomando o início deste parágrafo, considero que “ser cristão’ é aceitar, total ou parcialmente, os pontos declarados como verdadeiros da mitologia cristã.

      Em relação às minhas “opiniões sobre a vida e o mundo”, também respondo com grande tranquilidade.

      Sobre a vida: O ser humano é um ser biológico/sentimental/social. O que nos difere dos demais seres vivos deste planeta é o nosso cérebro altamente especializado e desenvolvido, que nos permite usufruir da nossa inteligência e de tudo o que decorre dela, para o bem ou para o mal. Se vc se refere ao que considero como o “sentido da vida”, te respondo: o sentido da vida é viver, e viver em harmonia com os outros membros da nossa espécie e das demais espécies desse planeta (e ambos vamos concordar que nossa espécie tem sido péssima nisso). O que nos liberta do simples instinto natural de nascer, crescer, propagar genes e morrer é exatamente nossa capacidade de sermos tão inteligentes a ponto de podermos conquistar muitas outras coisas no decurso da vida, ou até mesmo subverter essa sequência dita natural. Essa capacidade é fruto direto do desenvolvimento do nosso cérebro, que por sua vez foi determinado pela seleção natural que atuou ao longo de milhões de anos.

      Sobre o mundo: O mundo e isso aí que vemos ( e o que não vemos, mas sabemos que existe pois detectamos). É o universo, surgido há bilhões de anos, que vem se desenvolvendo desde então. Neste ponto específico desta galáxia específica ao redor desta estrela específica, condições foram propícias para a formação de um planeta rochoso que possui as características que permitiram o surgimento e a evolução da vida.

      Sobre os dois últimos parágrafos: é uma visão tragica e sem graça da “vida e do mundo”? Depende do ponto de vista. Pra mim, é uma visão extremamente bela.

      Ufa… vou terminado por aki pq já são 02:30 da manhã…

      Abração, meu caro.

  7. Ahhh…desculpe- me a ignorância mas….. que coisa é essa de “GRS”, NIvel Central”, “SES/MG”………

  8. Galera,

    O Daniel me chamou de “à toa” brincando!!!!

    Provavelmente um trocadilho entre as palavras “ateu” e “à toa”…

    E minha “reclamação” tb foi de sacanagem… por isso o “kkkkkkkkkk” no final…

    Bom humor sempre, pessoal!!!

  9. É por essas e outras que te considero irmão, mano!!🙂

  10. Cada linha desse texto parece extraída de dentro do meu cérebro. Muito bom.

    • Caro Eli,

      acompanho já há algum tempo seus textos (e de outros camaradas) no Bule Voador. Permita-me dizer que pelo o que conheço dos seus escritos, seu comentário cai sobre mim como um belo elogio.

      Valeu.

  11. E aí hobbit..quero dizer…Alex…rsrsrsr….
    Novamente seus argumentos não foram abaixo da capacidade intelectual que sempre demonstrou ter, parabéns. Tentarei, mais tarde um pouco, continuar nossa análise sobre este tema tão delicado tratado respeitosamente por ambos, tentando, talvez expor esta coisa chamada deus de uma forma um pouco diferente do convencional e, como já disse anteriormente, sem o intuito de murdar suas opiniões, e nem as minhas, mas apenas com a idéia de complementá- las, assi,como as minhas tb. Estou enfrentando problemas de saúde um pouco sério na família então provavelmente não conseguirei argumentar (ou até mesmo ler) em determinados dias nossas conversas.
    Obg pelo esclarecimento das siglas usadas pois já estava começando a pensar que poderia ser códigos de algum grupo terrorista que o intuito de promover desordem político- social neste país que apresenta estas características tão honestamente representadas pelos nossos governantes…..agora acho que realmente peguei pesado…rsrsrs
    em relação ao colega Daniel…rsrsrs…nem entendi muito bem o que ele disse mas, como ele estava sendo ‘um pouco’ criticado pelas suas palavras…achei por bem tb arrebentar com o sujeito…hehehe…..brincadeira cara…….leva a mal não…até mesmo pq não sou de confusão e tb devo ser apenas uns 5 cm mais alto que o pigm….que o alex e tb uns 10 kilinhos a mais só…rsrsrsrsr. sou da paz……… mais tarde continuamos meu colega de classe…
    OBS= Tem vindo por estes lados de Betim ainda alex!?
    Abraço

    • Grande Janjão…

      Ainda pretendo manter uma produção mais constantes nesse blog, obviamente dos mais variados temas, como vc pode constatar pelos outros textos que venho esporadicamente escrevendo desde julho/2008. Claro que vc (e qq um) está convidado a ler/comentar qq um que lhe dê vontade. Será sempre muito bem vindo.

      Essa siglas q usamos são meio uma caixinha preta tb… imagina quando entrei na SES??? Lá dentro ainda convivemos com mais uma centena delas… é de enlouquecer o cabeção, hehehe.

      Pera aí… só 5 cm mais alto?? Sei não hein… lembr q eu precisava olhar pro alto pra conversar com vc, hehehe… E 10 kg a mais??? Bom, sei que “aumentei” um pouco (75kg atualemnte, putz…), mas desconfio que ainda tô meio longo de te alcançar… kkkkkkkkkk.

      Por fim, e mais importante de tudo, espero que tudo se desenrole bem qto a esse seu problema de saúde na família.

      Um grande abraço, meu caro!!!

  12. Pelo Amor de Deus Gente (Ops, será que posso dizer isso aqui??)!!!
    Não é possível que só existam Ateus a visitarem este blog tão bem elaborado e redigido pelo Alex. Tudo bem, já sabemos que o cara é “fera”, com uma consciência crítica bastante estruturada e organizada, mas o intuito aqui não é elogiar as merecidas qualidades do dono do Blog.
    É confrontar, discutir, contradizer, dialogar, debater, como o próprio autor inquire e até mesmo suplica, questionando que por outros meios eletrônicos não obteve sucesso pretendido.
    Se continuar desta forma, torna-se enfadonho e vou fazer até mesmo uma ameaça: “Vou trazer aqueles crentes bem fanáticos da “Renascer”, “Mundial”, “Universal”, para opinarem aqui (tô brincando). É bem verdade que perderemos em qualidade discussória, mas pelo temos teremos outras opiniões contraditórias e não meros elogios e trocas de amabilidades.
    Nada contra vc amigo Alex, é apenas para alertar aos outros sobre o intuito da Assertiva inicial: “Quando Acaba o Debate”. Abraço.

    • Caro Guilherme,

      infelizmente meu blog não é tão famoso a ponto de garantir visitas diárias de várias pessoas de vários matizes religiosos… mas, mesmo assim, tb fico com a mesma preocupação que vc, pois conheço pouquíssimos ateus/agnósticos… A esmagadora maioria dos meus conhecidos/colegas/amigos/parentes possuem alguma religião (ou não possuem nenhuma, mas acreditam na existência de um deus), porem os únicos a se manifestarem até agora foram vc e o meu camarada Janderson.

      Sei não… acho que grande parte das pessoas que visitam este blogo qdo aviso sobre algum texto novo (aprox. 100 visitas desde que publiquei este texto) não se sentem à vontade pra escrever algo.

      Provavelmente alguns acham que, realmente, religião/fé não se discute. Outros preferem apenas ler os debates e refletir sobre as ideias colocadas.
      De qq forma, outros textos aparecerão para discussão, e dos mais variados temas, como é a tradiçao deste blog.

      Abraço

  13. Fala mano…
    Primeiramente me direciono ao seu companheiro Guilherme:
    Cara, se vc não possui fé em deus beleza, é um direito seu mas, para quem possui, saiba que talvez seja uns dos terrenos mais minados na psique de um ser humano. Seria talvez como quando alguém chama a mãe da gente pe puta e a gente achar graça disso (o que indicaria um desvio comportamental enorme e consequentemente esta pessoa não seria indicada a debater tema algum) entendeu!? Foi por isso que a primeira pergunta que fiz ao meu amigo foi sobre respeito ao ser humano e sobre a fé…entre linhas….respeito à fé dos seres humanos o que, prazerosamente, tive as respostas que esperava. Outro detalhe importante é que , o Alex é para algo muito mais importante do que uma discursão aberta a quem queira ver e sim um amigo que aprendi a respeitar na faculdade e que tenha certeza é querido por todos lá não pelo seu ateísmo e sim pela pessoa que é. não deixarei de sempre estar lembrando isto porquê o intuito para mim não é provocar, magoar e nem dar à ninguém motivos para para isto. Meu objetivo é simplesmente confrontar idéias de âmbito racional sobre algo altamente irracional que é a fé. Já fui evangélico, já fui ateu, redescobri Deus, estou estudando hebraico atual, mas quero chegar ao hebraico instrumental e tb ao grego antigo. Estou esperando minha septuaginta ORIGINAL chegar do Rio Grande do Sul para ter a cópia mais fiel possível dos textos de onde saíram a bíblia. A partir daí tentar dar CONTEXTOS aos TEXTOS (acho que não preciso explicar a diferença). e o mais importante para mim, hoje sou cristão (NÃO EVANGÉLICO, NÃO CATÓLICO, NÃO ESPÍRITA, NÃO NADA….APENAS CRISTÃO). adiantando uns pequenos e SIMPLES conceitos, ser cristão é diferente de fé e até mesmo do própio cristianismo. É um modo/estilo de ser, viver e compreender o mundo.Não está ligado a nenhuma religião/doutrina/seita ou seja lá o que for….até mesmo pq estas instituições estão cheias de HIPOCRISIA DESLAVADA onde as pessoas sofrem uma lavagem cerebral tamanha que os tornam verdadeiros cavalos com rédeas e freio de burro. É CLARO que não me refiro a todas e nem a todos que ali estão. Então Alex, se for do seu intuito promover em seu blog uma discurssão baseada em fatos reais e saudável a ambos (leitores e a nós, é claro) conte comigo, Ms se for para radicalização de idéias eu to fora.
    Pois bem Alex ainda farei algumas perguntas pertinentes ao assunto no decorrer da semana pois é tão amplo o tema que fica difícil debater com poucas informações e sei que tem muito a aprender com vc. Antes devemos saber escutar para pensar e aí sim, realmente dar opiniões concretas (análise científica meu caro….lembra!?RSRSRS).
    Estou copiando suas respostas, juntando- as, numa ordem que eu acho legal para formar um texto mais coeso pois como já disse, o tema é muito fértil e extremamente prazeroso para mim.
    Minha irmã, que não sei se lembra dela, mas que nosso amigo Jésus já deu uns trancos (que gosto horrível da minha irmã meu Deus!!!!!) está com um problema já a alguns anos na coluna que está só nos deixando mais preocupados pois está se agravando levando- a a mais de quatro meses já a tomar morfina para amenizar suas dores….e por ela ser minha melhor amiga amiga…tenho sofrido muito com isso….. outro grande conflito de saúde é meu pai que já sofreu três infartos e os médicos já nos avisaram que não o que mais fazer além de esperar mais um…ou dois…ou três epsódios até que ele não suporte mais (ou seja…uma bomba relógio). Outra coisa que entristeceu- me muito esta semana passada foi que uma tinha, que considero minha mãe em Ipanema (lembra…aquela cidade de onde eu vim onde no início do curso o litro de pinga era 25 centavos!?rsrsrs) tentou suicídio e ficou dois dias em coma… isto abala a gente um pouco, né!? Estou comentando aqui, em seu blog, pq foi aqui que começamos nossa conversa. Serei que não é este o intuito do mesmo mas é só para deixar claro que não terei cabeça algumas vezes para discutir com vc, ok!?
    Supondo que queira continuar nossas conversas, gostaria de saber o que te levou a seguir o ateísmo, o por quê da descrença em algo maior (veja….não estou me referindo a nenhum ser supremo aqui). Vc disse que refletiu muito antes de chegar a tal conclusão…poderia por favor contar- me o que te levou a este ceticismo!? Quais as bases científicas e pessoias que te levaram a esta opção de vida!?….Coisas deste tipo entendeu!?
    Abraço

    • Caro amigo Janjão,

      antes de mais nada, novamente dizer que espero que as coisas caminhem da melhor maneira possível pra vc e sua família. Força, aí, meu caro!

      Bom, para te dar mais “munição” (no bom sentido) pra um debate que promete ser cada vez mais enriquecedor, vou escrever até o fim da semana um novo texto sobre o pq da conclusão a que cheguei sobre o ateísmo…

      Abraço

    • Caro Janjão.

      Assim vc me decepciona. Justifica o porque da maioria das pessoas irem tão mal nas provas de Português em nosso país. As pessoas não sabem interpretar um texto, talvez porque nem mesmo os leram com a mínima atenção necessária.
      Prefiro acreditar que vc não leu o meu primeiro post, pois vai totalmente contra a sua última colocação.
      Por diversas vezes em minha vida, pude sentir o poder divino de Deus e como disse ao Alex, é algo que não se pode comprovar com provas concretas, estudos parametrizados, rigidez científica etc.
      O meu questionamento foi de que as pessoas que estão redigindo no Post, apenas se restringem a pequenos comentários ou elogios ao autor do Blog. No seu caso, inclusive, não consegui identificar na primeira intervenção se acompanhava o pensamento do Alex ou era contrário, como agora ficou claro na sua ofensiva contra mim.
      Meu intuito, foi este mesmo, provocar eloquência e assertivas contraditórias ao que o iniciador do Post entende sobre a não existência de Deus.
      Portanto, concluindo mais uma vez que vc não compreendeu de forma como deveria a minha redação, peço desculpas pela resposta, mas se fez necessária frente à sua iniciativa ok.
      Que Deus possa trazer-lhe conforto e harmonia neste momento de doença na família que é sempre um período difícil para todos.
      Abraço e tudo de bom!!!

  14. Ao Guilerme,
    Realmente vc está certo. Peço desculpas pela falta de atenção e pelo julgamento errôneo da minha parte. Cometi aqui o erro que não quero que aconteça…a falta de respeito. Neste caso com um agravante enorme que foi minha falta de atenção. Li sua primeira argumentação, onde entendi sim a sua posição. o meu erro foi não ter repetido a leitura antes de responder á sua ‘provocação” (no bom sentido, é claro). poderia dizer que este lastimável erro ocorreu devido a condições que me atordoam no momento mas ‘somos senhores das palavras que não pronunciamos e escravo daquelas que nos escaparam”. Então, mais uma vez peço desculpas e tomarei mais cuidado para que não ocorra novamente.
    Alex…to esperando seu texto com bastante expectativa…não me decepcione cara….
    Abraço aos dois.

  15. Eu sinto a mesma decepção ao conversar com ‘céticos’, quando eu apresento rica bibliografia de vida após a morte ou paranormalidade, os ‘céticos’ sequer lêem e quando eu satisfaço o nível de exigência deles para aceitar a existência de tais fenômenos, ainda assim se recusam a dar o braço a torcer numa clara demonstração de desonestidade intelectual. Com você será diferente?

    • Vitor, depende.

      Só bibliografia não basta. Já li muita coisa acerca de vida após a morte e paranormalidade. Até hj nada do que já li convenceu meu raciocínio sobre a vercidade dos fatos relatados. A leitura deve sempre ser acompanhada da reflexão crítica e, no meu caso, baseada em evidencias científicas.

      Tento manter a mente aberta, mas até hj, nada tem me convencido da existencia de algo além desse nosso universo físico. Mas, tô aceitando qq contribuição pro debate.

      Como diria Carl Sagan: “deixe sua mente aberta, mas não tão aberta que o cérebro caia pra fora”.

  16. Meu site oferece rica bibliografia científica sobre o tema. Acesse

    http://existemespiritos.reblogado.com/mediunidade.htm

    e

    http://existemespiritos.reblogado.com/reencarnacao.htm para mais detalhes.

    A introdução oferece um excelente resumo das pesquisas até então.

    Artigos que recomendo:

    http://www.4shared.com/file/204928073/406f41bf/caravelas.html

    http://www.4shared.com/file/167530734/fe34e966/Marea_traduzido.html

    Os dois artigos acima oferecem provas – eu diria que irrefutáveis – de visão remota (mais conhecida como clarividência).

    http://www.4shared.com/file/152330477/bf908d8/kemal.html

    http://journals.lww.com/jonmd/Citation/1988/12000/Three_New_Cases_of_the_Reincarnation_Type_in_Sri.8.aspx

    Os artigos acima fornecem casos extremamente robustos de reencarnação.

    Agora é com você…

    • Vitor, vc enviou um bocado de links aí…

      Farei o seguinte. Vou ler com atenção, refletir sobre eles, pesquisar um bocado, formar opinião, e depois escrevo sobre o assunto em um novo texto, até para facilitar as discussões, ok? Provavelemente até o fds tô escrevendo um texto sobre o assunto.

      Convido qualquer leitor deste humlide blog a fazer o mesmo, caso se interese.

      Não prometo para antes pq essa semana é época em que o trampo volta ao ritmo normal, e claro tem a Season Premiere da 6ª temporada de Lost, que vai me consumir umas 6 horas do meu tempo livre, pos o episódio é duplo e eu pretendo ver umas 3 vezes, hehehe.

      Obrigado pela contribuição ao debate.

  17. valeu chegado…
    “segunda temporada” alex versus janjão começou em outro texto rsrsrsr

  18. Oi Alex
    Sempre veio dar uma olhada por aqui, nunca escrevo nada, mas achei o seu comentário muito apropriado para este meu momento. (Vc não lê pensamento, né? – brincadeira)

    Sinto a mesma coisa que vc. Tô de saco cheio. As pessoas lotam o meu email de profecias, fim de mundo, 2012, Maias, Nostradamus, orações, novenas, promessas, pedidos de perdão, curas e milagres, ameaças divinas etc…não respondo nenhuma, simplesmente deleto. Não reclamo. Não desafio. Não faço piada.

    E quando resolvo mandar alguma idéia para fomentar um debate, advinha o que acontece?
    Exato! Jogam pedra na Geni. Será que vou ter que esperar até 2013?

    • Diane,
      seja bem-vinda.

      E sinta convidada para concordar ou refutar qualquer texto/argumento meu ou de qq outra pessoa que aki escrever.

      • Olá Diane…sinta-se á vontade por minha parte tb para sempre estarmos em harmonia no intuito de redescobrirmos juntos um mundo diferente…mesmo que seja utópico…rsrsrsr

  19. Pingback: Ateu/Cético, por quê? « No Lado Escuro da Lua

  20. Pingback: Eu tb me sinto discriminado! « No Lado Escuro da Lua

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s