Learning to Fly

Fico imaginando o que acontecia internamente em meu corpo segundos antes de atirar-me ao vazio atado a uma estrutura aerodinâmica. Refiro-me ao meu primeiro (sim, porque outros virão) voo de asa delta. Substâncias químicas (adrenalina, endorfina, etc.) foram lançadas na minha corrente sanguínea e inundaram meu cérebro, provocando uma profunda e duradoura sensação de bem-estar.

A experiência de voar é única e indescritivelmente prazerosa, qualquer traço de medo ou insegurança desaparece nos primeiros instantes do voo. Sentir o vento no rosto e ver a paisagem abaixo de nós é algo tão sublime que senti o tempo parar, e aquele passeio de pouco mais de 10 minutos me pareceu durar mais de uma hora, e mesmo assim não foi suficiente, ficou a vontade ir novamente. E espero que as próximas vezes não tardem a chegar.

Recomendo a qualquer pessoa que tenha a oportunidade, não a deixem escapar. Pule, voe, arrisque, aterrorize-se… garanto que não haverá arrependimentos!!! Carpe Diem!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s